Alegria é fruto do Espírito posição de quem já venceu (Eliezer Rodrigues)

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

CLASSIFICAÇÃO DE SISTEMA DE CUSTEIO

CLASSIFICAÇÃO DE SISTEMA DE CUSTEIO.

 
Os sistemas de custeio referem-se às formas como os custos são registrados e transferidos internamente dentro da entidade. É o fundamento da Contabilidade de Custos ligado à decisão de como deve ser mensurado o custo do produto. Então, podemos dizer que é o método de custeio um modelo para a decisão, mensuração e informação.
A mensuração da receita dos produtos e serviços, recursos, atividades e da empresa tem como o fundamento o preço de mercado. Custeio significa método de Apropriação de Custos. Assim, existe Custeio por Absorção, Custeio Direto, Custeio Padrão, Marginal, ABC, RKW e etc.


A) Custeio por absorção:
É aquele que utiliza todos os custos, sejam eles fixos ou variáveis diretas ou indiretas, para apuração do custo dos produtos. Esse método derivado da aplicação dos princípios fundamentais da contabilidade, sendo no Brasil adotado pela legislação comercial e pela legislação fiscal.

B)Custeio Direto ou Variável:
É aquele que se utilizam apenas os custos diretos e variáveis, não utilizando os custos fixos e indiretos. Fundamenta-se na separação dos gastos em gastos variáveis e gastos fixos. Isto é, os gastos oscilam proporcionalmente ao volume de produção/venda e gastos que se mantêm estável perante o volume de produção/venda oscilante dentro de certos limites.
No custeio direto ou variável causam em relação as suas vantagens causam divergências entre os doutrinadores. CREPALDI (2002) defende esse método de custeio com três argumentos:
1)Os custos fixos, por sua própria natureza, existem independentemente da sua fabricação ou não de determinado produto ou do aumento ou redução da quantidade produzida. Os custos fixos podem ser encarados como necessário para empresa por si só existir.
2)A maioria dos rateios é feita através da utilização de fatores, que na realidade, não vinculam cada custo a cada produto. Em termo de avaliação de estoque, o rateio é mais ou menos lógico. Assim qualquer decisão em base de custo deve levar em conta, também o volume da produção.
3)Esse método não vincula nenhum produto especifico a uma unidade de produção, eles sempre são distribuídos aos produtos por meio de critério de rateio.
Em contrapartida, há três argumentos que mostram as desvantagens desse método.
“1) A exclusão dos custos fixos indiretos para valoração dos estoques causa a sua subavaliação, fere os princípios contábeis e altera o resultado do período. 2)Na pratica a separação de custos fixos e variáveis não é tão clara como parece, pois existem custos semivariáveis e semifixos, podendo o custeamento direto incorrer em problemas semelhantes de identificação dos elementos de custeio. 3)O custeamento direto é um custeamento e análise de custos para decisão a curto prazo, mas subestima os custos fixos, que são ligados à capacidade de produção e de planejamento de longo prazo, podendo trazer problemas de continuidade para a empresa” (PADOVESE, 2003, p.326).

Entendemos que, o custeio variável/Direto é conceitualmente adequado para a gestão econômica do sistema empresa no âmbito da contabilidade de custos, enquanto o método de custeio por absorção não é adequada para a tomada de decisão, as maiores criticas a este método centram-se nos critérios de rateio e custos indiretos fixos a serem distribuídos.

C)Custeio Padrão:

É o Custo cientificamente predeterminado, constituindo base para avaliação do desempenho efetivo. Representa o quanto o produto deveria custar, equivalem aos custos reais apurados no final do período.  Representam o custo alocado ao produto mediante taxas predeterminadas de CIF, elaboradas com base na média dos CIF´s passados, em possíveis mudanças futuras e no volume de produção.

D)Custeio Marginal:

Esse método, ainda constitui novidade para muitos administradores de empresa do país. Essa forma é o modo pelo quais todos os gastos despendidos por uma empresa, de natureza variável, são alocados ao produto. Esse método propicia meios bastante objetivos de se identificar os custos e a margem de contribuição de cada produto vendido, além de a administração da empresa conhecer, de uma forma instantânea, os seus custos estruturais fixos que estão, de certa forma diretamente relacionados à capacidade instantânea.

E)Custeio ABC:

É o método de custeio baseado em atividades. É o novo método de análise de custos que busca “rastrear” o gasto de uma empresa para analisar, monitorar as diversas rotas  de consumo dos recursos “diretamente identificáveis” com suas atividades mais relevantes, e destas para os produtos de serviços; com o objetivo de facilitar as mudanças de atitudes dos gestores de uma empresa, a fim de que estes, paralelamente a otimização de lucros para os investidores, busquem também a otimização do valor dos produtos para os clientes. Assim define (NAKAGAWA, 2001). O custeamento com base em atividades é fundamentado no seguinte conceito: produtos consomem atividades, atividades consomem recursos.

F)Custeio RKW:
Esse método de custeio, não é recomendado, nem muito utilizado, tem por procedimento ratear e alocar aos custos unitários. Ele é considerado uma despesa operacional e lançado pelo seu valor total na demonstração de resultados como gasto do período.

DIANTE DE TANTO SISTEMA COMO IDENTICARMOS O MAIS ADEQUADO PARA O SEGMENTO QUE ATUAMOS?

Um comentário:

  1. Devido a "Nova Competição Global" as organizações precisam aprimora-se constantemente seus processos produtivos. Assim as formas de organização da produção estão revolucionando a gerencia das empresas. Com as mudanças no ambiente empresarial vieram a tona as deficiências dos sistemas tradicionais de custeio, visto q estes não mais satisfaziam as necessidades impostas pelo atual mercado competitivo.
    Assim torna-se necessário o estudo dos sistemas de custeio vigente, ressaltando seus pontos fortes e fracos para então combina-los convenientemente para atender as necessidades das novas exigências das organizações.

    ResponderExcluir